´´Essa é uma história de um rapaz

 que conhece uma garota,mas você

 tem que saber de antemão que não

 é uma história de amor``.

Em um dia aparentemente normal,como todos os outros dias de férias,eu tentava a todo custo encontrar algo para assistir na Netflix,até que por um milagre vi que o filme ´´500 dias com ela`` finalmente estava no catálogo.E sim,talvez eu seja uma das únicas pessoas que nunca assistiu essa comédia romântica,e agora posso dizer que me arrependo de não ter feito isso antes.De qualquer forma,se você ainda não teve o prazer de passar algumas horas com esses personagens eu recomento que você veja o filme antes de ler esse texto,pois posso revelar alguns pontos principais da história.A partir daqui o que você lerá será de sua total responsabilidade.Eu avisei.

Antes de começar eu tinha certeza de que esse seria apenas mais um filme hollywoodiano clichê feito para te fazer suspirar no final,talvez você tenha pensado o mesmo.Acho que nos enganamos.A questão é que depois de pensar muito sobre o que me foi apresentado na história tirei conclusões importantes que gostaria de compartilhar.A primeira delas e talvez a mais importante de todas: a Summer não era uma vadia.Simples assim.Ela não queria um relacionamento,e deixou isso claro desde o início.Já o Tom,por outro lado não teve os sentimentos correspondidos da forma que gostaria.Ele estava apaixonado e sabia disso,mas mesmo assim disse que estava tudo bem.Será que ele tinha o direito de cobrar algo dela?Acredite,você também será uma Summer algum dia.

Uma das frases mais famosas do mundo diz: ´´Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas``.Será? A verdade é que esse pensamento sempre me incomodou um pouco.Sim,devemos tratar as pessoas com respeito,e é óbvio que queremos fazer de tudo por quem amamos,mas nesse caso estamos falando de relacionamentos entre amigos e familiares.Agora tente aplicar esta frase na história do Tom e da Summer.O que estou querendo dizer é que não se pode culpar alguém por não te amar.Infelizmente não escolhemos por quem nos apaixonamos,não é como um controle remoto onde todas as funções já estão predefinidas.Amores platônicos acontecem todos os dias,e acredite,eu sei como é horrível,mas ninguém é um idiota só por não te querer dessa forma.Talvez o nosso maior defeito seja pensar que a partir do momento em que nos vemos totalmente apaixonados por alguém essa pessoa precisa obrigatoriamente nos corresponder. Como diz aquela música da qual não me lembro o nome:´´Eu quero que você me queira``.Realmente não sabemos nada sobre sentimentos.


´´Só porque uma garota bonita gosta das mesmas coisas bizarras que você,não significa que vocês são almas gêmeas.``

Crescemos com filmes onde princesas encontram o cara perfeito e vivem felizes para sempre,e isso é demais,só que não se aplica na vida real.Nós usamos esses meios como uma válvula de escape porque nessas histórias tudo sempre acaba bem.É difícil aceitar um filme que chega na sua cara e diz: ´´Ei,isso aqui é a vida real e eles não terminam juntos!``. É como aquele seu único amigo que te diz a verdade mas você ignora porque não era o que você esperava ouvir.Só que nem tudo precisa ser para sempre,você não precisa encontrar agora a pessoa com a qual vai passar o resto da sua vida. 

Em uma das cenas a Summer convida o Tom para uma festa em seu apartamento e logo quando ele chega no prédio a tela se divide em duas: expectativa e realidade.Nada nunca foi tão bem representado. Sempre colocamos as coisas em outro patamar,e alguém tão sonhador como o Tom está propício a se machucar. Me arrisco em dizer que talvez existam dois tipos de pessoas no mundo: as como a Summer que não acreditam no amor e não se importam com isso,e as como o Tom,que se sentem em um musical de cinema quando a garota por quem estão apaixonados finalmente aceita seu pedido para sair. Eles apenas enxergavam a realidade de um jeito diferente. Não adianta estar junto sem estar na mesma sintonia.

A Summer era uma vadia sem coração?Então talvez o maior erro dela tenha sido se apaixonar por outra pessoa.´´Você vai saber quando sentir``,foi o que Tom disse enquanto eles conversavam.O único momento em que eu pensei´´ Que filha da mãe!`` foi na festa de noivado,naquele momento eu também me senti um pouco traída.Você pode até pensar que estou me contrariando,mas se imagine na seguinte situação: você chega na casa da pessoa por quem é apaixonado e lá descobre que ela está noiva!Tudo bem,não era para ser nada sério,mas naquele momento específico o Tom pensou que eles ainda estavam juntos.Pois é,ninguém é perfeito,nem mesmo a Summer,com aquele sorriso lindo e o impecável corte de cabelo estilo anos 60.

´´Eu só acordei um dia e tive certeza.Uma certeza que não tive com você``.(Summer)

Uma frase do filme fala o seguinte: “Dizem que para esquecer alguém que você goste muito, você precisa transformá-lo em literatura. Sendo assim, escreverei livros a minha vida toda e mesmo assim não conseguirei me livrar de você.” As pessoas tem uma tendência de querer apagar o passado só porque ele não foi do jeito que esperavam.Ignorância?Sim.Porque primeiro,isto é impossível,e segundo,em algum momento eu tenho certeza que foi bom.Os amores antigos fazem parte de quem somos agora.Resumindo toda a ideia: você não precisa ser eterno,apenas memorável.Pelo menos até que a sua Autumn apareça. 




Deixe um comentário

Vai sair sem deixar um recadinho?
Não faz isso não, sua opinião é muito importante.