Ultimamente tenho sentido muito a sensação de que pertenço a outro lugar,como se estivesse presa em uma dimensão da qual não faço parte, uma realidade paralela que me puxa cada vez mais para dentro, onde estou apenas passando o tempo. Às vezes me pego com aquela sensação de desconfiança, como se algo não estivesse certo. Como aquilo que você sente quando não pode estar em um lugar para onde gostaria muito de ir . Às vezes me sinto diferente, como uma peça a mais do quebra cabeça quando descobre que esteve o tempo todo na caixa errada. Nada do lado de cá faz sentido. As coisas parecem diferentes,erradas,fora do lugar. 

Mas o tempo continua correndo.Tic tac,tic tac,tic tac. Às vezes é como uma caça ao tesouro onde devo encontrar o caminho de volta. De vez em quando sinto uma familiaridade,um estalo. Talvez seja o momento onde os outros mundos se colidam. Em algum deles eu posso ser uma pessoa completamente diferente,talvez eu esteja tentando ajudar a mim mesma neste exato momento ou quem sabe eu nem tenha consciência da minha existência.Talvez eu já tenha esbarrado com as outras ´´eu`` por aí. Será que quando uma das versões percebe algo errado todas as outras ficam comprometidas? Talvez eu seja a falha no sistema,a cópia que despertou antes da hora. 

Acredito que os outros mundos conversem entre si,não sei onde um começa e o outro termina,nem mesmo sou capaz de diferenciá-los,talvez alguma versão de mim seja,mas essa não. Acho que a outra realidade se desdobra dentro da nossa,ela pode ficar no ponto mais alto do mundo, no nível mais baixo do mar,ou nos sonhos de uma garotinha de cinco anos. De qualquer forma,todos os meus esforços de achá-lo foram em vão. Talvez ele só possa ser encontrado por acaso. Eis o grande problema: estou sempre esperando. Não sou como Lúcia,desde criança já abria meu guarda-roupa imaginando que Aslan poderia aparecer a qualquer momento e me apresentar um mundo inteiro lá dentro. Talvez eu esteja mais para Alice caindo no país das maravilhas,mas ao contrário dela,eu não desejaria mais voltar.

Talvez tudo isso não passe de um sonho confuso,quem sabe como eu acordaria amanhã? Sinto como se tudo fosse grande demais para um universo só. Não importa o quanto tente é impossível contar todas as estrelas do céu,pelo menos não nessa dimensão. Talvez do outro lado as leis sejam diferentes. Adeus gravidade,teoria do caos e Lei de Murphy. Tic tac,tic tac,tic tac. O tempo pode nem passar lá. Quem sabe exista outra grandeza física para medir um período. Talvez nem haja diferença entre passado,presente e futuro. 

As vezes sinto como se estivesse em outra realidade,em um mundo diferente do que conheço,diferente o bastante para não fazer sentido na grande maioria das vezes. Distante desse mundo pragmático. Mas ao mesmo tempo, em outros momentos acho que algo está prestes a despertar,como se por um instante eu tivesse certeza da existência de uma barreira que separa os universos.  Não sou capaz de ignorar esse imã que parece me puxar de volta, como se eu estivesse próxima de encontrar a chave que me mostrará a porta certa para que eu volte para casa e perceba que a caixa do meu quebra cabeça sempre esteve em outro lugar. Tic tac,tic tac,tic tac...



Deixe um comentário

Vai sair sem deixar um recadinho?
Não faz isso não, sua opinião é muito importante.